Neste post apresentarei algumas dicas de quanto cobrar por um site. Na verdade vou mais além, falarei um pouco sobre como você pode iniciar o processo com o seu cliente. Afinal o preço é parte importante de um negócio, mas não é o negócio em si. Então, explicarei como você que está iniciando nessa jornada pode visualizar algumas possibilidades de atuação em relação a precificação. Ao final do post deixo um modelo de prestação de serviço que pode servir de base. Sugiro ler e alterar todo o modelo pois foi utilizado para um caso específico.

Quanto cobrar por um site?

Começarei falando de uma questão muito importante que irá servir de parâmetro para a precificação de um site, que é o nível de evolução profissional.

  • Primeiramente você tem de situar-se perante si mesmo e perceber qual o nível do seu trabalho perante os sites existentes na grande rede. Note que não estou falando se você é iniciante ou não, pois isso varia bastante. Já vi alunos estarem iniciando mas que já têm uma noção muito boa de design e acabam criando sites com uma qualidade fantástica. Então você deve ter como primeiro parâmetro essa percepção do seu nível de evolução no processo de criação de sites.

Se você percebe que os seus sites já estão com um padrão de qualidade acima dos demais concorrentes, o seu preço não pode ser nivelado por baixo apenas porque você está iniciando. Então esse é um dos primeiros e principais fatores a serem levados em consideração, o padrão de qualidade do seu serviço. De fato é isso que guiara todo o resto contextual.

Então Viana, mas eu não sei nivelar quão bom está o meu trabalho, como fazer isso? Simples, observe os sites criados, observe detalhadamente, isso amadurecerá a sua visão criativa e te fará observar padrões de design que estão sendo pensados mediante conceitos estudados de usabilidade e experiência do usuário que você as vezes não tem tempo de pensar, ou ainda desconhece. E você começará a perceber, inclusive, necessidades de melhoria no seu trabalho. Mas é por aí que você irá identificar como anda a qualidade do seu, através do site dos outros.

Mas então, quanto cobrar?

Bem, calma, o que apresentei acima é um contexto para que você possa começar a analisar as circunstâncias da precificação.

Acredito que o próximo passo é você ter bem definida a sua perspectiva atuante no que diz respeito a dedicação de tempo e projeção financeira. E para isso antecedemos uma questão:

  • Você irá fazer sites como uma renda complementar? ou será de fato a sua atividade principal?

Esse é outro fator que tem de ser pesado quando você está pensando em precificar um site. Pois se é a sua fonte de renda principal, você deve manter uma agenda bem organizada e um planejamento cada vez mais estratégico. E se será a sua atividade principal, você terá tempo para isso, e poderá inclusive incluir isso no custo o tempo que demanda organizando, planejando, estudando e melhorando a sua qualidade profissional.

Agora se você têm como uma atividade complementar e não pode dispor de todo o tempo  e energia para o seu projeto, é claro que o seu preço pode ser mais flexível nesse sentido, tendo em vista que o tempo demandado não fora o mesmo. Note, que falei flexível, não falei de graça! Já já falaremos de valores.

Então, e o preço?

  • Outro fator que via de regra caminha conjunto aos anteriores é a quantidade de sites que você já têm criado, ou seja, o seu portfólio.

Você tem um bom portfólio com sites que mostrem o valor do seu trabalho? Esse aspecto está totalmente ligado ao tempo de experiência, mas que é diferente da qualidade do trabalho. Uma pessoa pode ter 20 anos fazendo sites e não ter evoluído praticamente nada na qualidade do seu trabalho, isso é difícil de acontecer, mas ocorre, depende muito de cada pessoa.

Mas se você já tem um bom portfólio, pode mostrar para o cliente o quão bom é o seu trabalho, certamente isso tem um valor que agrega na hora de você estabelecer o preço.

Mas antes de entrar nos valores propriamente ditos existe um último fator que considero bastante, que é o perfil do cliente.

Muitos questionam e é uma verdadeira polêmica, se podemos ou devemos cobrar preços diferentes para um mesmo tipo de site só porque o cliente tem um perfil diferente.

Aí é algo que é de cada um mesmo, uma escolha bem pessoal. Eu, opto por fazer sim essa diferença, para mim, cada tipo de cliente pode ter um valor diferenciado. Vamos estabelecer a simulação de alguns cenários que servirão para início da base de alguns valores. E mais na frente retomaremos essa parte com mais calma.

Digamos que eu sou “João” webdesigner que acabei de começar, estou desempregado, fiz um curso, aprendi algumas coisas, gostei de criar sites e vi a possibilidade de um negócio. O que eu como João faria? primeiramente começaria criando sites para conhecidos que têm algum negócio, mesmo que pequeno, pois aí começaria a crescer em experiência, em cenários reais, e daria início ao meu portfólio.

  • Então Viana, nesse caso quanto cobrar?

Bem se você está começando, e pega um cliente conhecido, cobre um valor justo pelo seu trabalho, que cubra minimamente seus gastos de tempo e gastos materiais, mas não objetive um lucro bem positivo nesse momento. O de positivo nesse momento será a experiência e o portfólio. É o mesmo que pensar que você está estagiando nessa jornada. E nesse caso penso que hoje, nenhum site possa valer menos que R$500. Qualquer valor abaixo disso é realmente um favor, e você pode até fazer, não digo que seja errado, como muitos criticam, faz parte sim da jornada, eu mesmo fiz sites literalmente de graça.

Então Viana um site é apenas R$500? NÃO, sequer disse isso. Mostrei todo um cenário contextual e disse que não enxergo para aquele contexto um valor abaixo de R$500. Os fatores como citei são bem relativos, não é uma ciência exata, cobre X. Em síntese, depende do seu nível de qualidade, tempo de dedicação, e do seu portfólio.

Feito esse contexto inicial falarei agora de valores mediante os tipos de sites. Mas peço que pesem todo esse contexto que falei introdutoriamente.

Tipos de sites e preços

Visualizo em resumo 3 tipos de sites hoje. O site Institucional, E-commerce e Portal.

Existem outros tipos, mas resumi nos principais para facilitar. Note que sequer comentei sobre Sistemas Web, pois o cenário é voltado para equipes e os valores não tem nada haver com o que falarei aqui.

Os 3 sites citados, ambos possuem características distintas em relação a sua estruturação, porém com o WordPress tudo fica mais próximo no que diz respeito ao processo de criação.

Hoje ambos os tipos de sites citados demandam um tempo de criação com WordPress não muito diferente, o que acho que demandaria mais seria o E-commerce, por questão de configurações e inserção de produtos, então para mim tem um preço acima dos demais.

Para definir preços temos que antes considerar os custos materiais que teremos.

  • Hospedagem, domínio, tema + plugins + tempo

Com o passar do tempo você acabará vendo que plugins e temas gratuitos são ótimos para um primeiro serviço, para um tipo de site menos exigente. Mas se você optar por levar a sério essa carreira, começará a sentir necessidades de temas e plugins premium e você deve colocar isso na ponta do lápis.

Custos padrões com hospedagem compartilhada convencional + domínio por ano varia de R$180 a R$250. (sugiro incluir isso no valor e falar para o cliente que ele terá o site com um ano de domínio e hospedagem já inclusos no pacote de criação, mostre para o cliente os valores, arredonde para cima) Se quiser ver a hospedagem que indico basta acessar esse link.

O segundo custo é com temas premium e plugins.

Não me estenderei aqui falando sobre qual o melhor tema premium ou os plugins necessários, pois isso irá variar conforme a necessidade, mas tenho alguns posts aqui no blog que falo sobre isso.

Via de regra acho que hoje você deveria ter o Elementor PRO, esse eu tenho usado bastante e não me vejo hoje sem ele. Mas isso é uma questão realmente pessoal. O custo dele para 1 site é $49 dólares, o que na data de hoje ficaria em torno dos R$180. (nesse link falo um pouco mais sobre o elementor pro)
Ocorre que se você compra a licença para 3 sites o custo é $99, e para sites ilimitados $199. Quando você já tiver mais de 5 sites criados acho que já vale a pena pegar a de sites ilimitados, note que você pode começar com a licença de um site e fazer o upgrade e pagar apenas a diferença do próximo plano.

Não sendo o Elementor PRO você poderia ter o  Tema premium OceanWP que uso aqui no meu site, que custa $39 dólares para 1 site, $79 para 3 sites e $129 para sites ilimitados.

Então para resumir isso que falei acima, você poderia considerar em média um custo de R$180 reais por site. Claro que se forem acrescidos novos plugins você precisaria recalcular. Esse valor pode ser relativizado a outro tema também, é apenas um parâmetro.

Então você tem um gasto médio de R$200 reais com hospedagem + domínio e R$180 com plugin ou tema. Vamos arredondar para R$400.

Note que se você deseja criar sites profissionais e cada vez mais personalizados o caminho é esse.

  • Viana mas vou usar tudo free, posso? Pode e é o que recomendo para quem tá começando e não tem dinheiro para investir, nos seus 2 primeiros sites use ferramentas gratuitas, mais a frente quando tiver ganhado um capital invista em plugins e temas pois vai te elevar a outro nível. Volta aqui no site que sempre estarei trazendo dicas de temas, plugins e conteúdos atualizados. Ao final eu mostro como você receber notificações das minhas novas postagens.

Mas voltando ao preço, esse valor de custo de R$400 é realmente por alto e para quem está começando… Mas porque? porque você pode pegar uma hospedagem compartilhada que hospeda vários sites e esse valor vai sendo dividido entre os sites, e porque o mesmo ocorre se você tiver vários sites e um plugin ilimitado o preço vai sendo diluído. Então de início bem no começo o valor médio é esse, depois que você tiver uns 5 sites o custo por site cai drasticamente, quando chegar aos 10 aí você terá bem mais lucro.

  • Então agora que vimos os custos médios e básicos. Vamos definir alguns valores.

Se você tá começando e vai utilizar apenas ferramentas gratuitas, seu custo vai ser o domínio e a hospedagem. Viana mas não é o cliente que paga isso? Então como já falei, eu particularmente gosto de fechar o primeiro ano eu pagando tudo e incluir isso no valor. Assim o cliente sabe que vai pagar aquilo para ter o site e já um ano todo custeado. Informo anualmente quanto o cliente tem de pagar no próximo ano para manter o site online no que diz respeito a hospedagem e domínio. Quanto a manutenção é outro assunto que falarei ao final.

Então nesse caso de site com ferramentas gratuitas, seu custo com host +domínio ficará em torno de R$200. Se disse há um tempo que não via valor menor que R$500 mesmo para um iniciante, foi o mínimo.

  • Acho que mesmo iniciando você pode cobrar cerca de R$800 reais tranquilamente, acho esse um preço acessível para o cliente e para você que não tem portfólio ainda. Você ganhará cerca de R$600 reais. Isso para fazer um site do tipo Landing page, institucional, com basicamente informações e um formulário de contato. Isso você tem de deixar claro para o seu cliente.

Se ele quiser funcionalidades com área de membros, listagens específicas, outras funcionalidades, você deve estudar quais plugins irá utilizar, o tempo que irá demorar para aprender o plugin e integrar e adicionar esse valor no preço. Deixe sempre claro isso que o valor é X para uma página informativa, com imagens, slides, formulário de contato, galeria, etc. Que se for ter outras funções o preço precisa ser orçado de maneira mais detalhada.

Mas Viana, apesar de estar começando, não ter portfólio, eu vejo que meu trabalho tem uma qualidade muito boa, vou usar plugin/tema premium. Aí as coisas mudam, o valor ficaria acima de R$1.200. Porque você já tem qualidade e terá um custo maior.

Outro cenário: Viana já fiz sites, tenho um portfólio, tenho qualidade, experiência. Aí tudo muda, se você pode mostrar para o cliente quão precioso é o seu trabalho, o valor quem vai definir é você. Se realmente o seu trabalho é muito bom, só recebe elogios, você estudou bastante, entende de UX/UI, investiu seu tempo, é sua atividade principal, aí poder avançar para acima dos R$2.000.

Esses valores e circunstâncias são para sites do tipo Institucional e Portal. Se for e-commerce aumente um pouco mais de acordo com a quantidade de categorias e produtos.

Os tipos de Clientes

Viana, mas você falou que dependia também do tipo de Cliente. É verdade e não esqueci disso. E vou explicar agora o meu posicionamento.

Você está começando e chega em uma loja próximo da sua casa pergunta se ela tem site, ela diz que não tem e não demonstra interesse. Aí você vai lá explicar para a pessoa a importância de um site, que ela vai ser facilmente achada no google, pode ter o endereço, telefone, mostrar os produtos/serviços dela.

Ou seja você começa a mostrar o valor que agregará para ela tendo um site. Aí você percebe que ela teve o interesse. Note a diferença, não é um cliente que foi procurar você, é um cliente que não havia interesse, você conquistou ele, e somado a isso, você percebe que o retorno financeiro que aquela loja tem não é lá essas coisas, inclusive está para mandar um funcionário embora. Efim, existe todo um contexto.

Bem diferente daquela outra empresa X que através de um conhecido soube que você faz site e está precisando de um site, e você pesquisa é uma empresa de médio porte. Não é que você tenha que rebaixar o seu preço ou aumentar de maneira constante e realmente ter prejuízos, mas nota que são cenário bem diferentes? Você também não tem de convencer ninguém eu sei disso. Mas nota que se você está começando faz parte da sua estratégia de conquista de clientes e portfólio também reavaliar o preço conforme o perfil encontrado e conquistar seus clientes?

Ainda há de se considerar se o cliente é pessoa física ou empresa, pra mim, isso também modifica o cenário.

  • Claro que não posso dizer o que você vai fazer se vai abaixar ou aumentar o preço, mas é uma reflexão que queria deixar. Isso é muito questionável, não atoa que deixei para o final. Mas de fato esse é o meu pensamento sobre o preço tendo em vista os tipos de clientes.

Manutenção e atualização

O ideal mesmo é você deixar isso bem claro na hora da contratação do serviço:

  • “A criação do site é uma coisa, a manutenção/atualização é outra, e os custos para manter ele online é outra”, é certo que você pode incluir os custos para manter online durante o primeiro ano no pacote da criação, mas o cliente deve estar ciente dos custos para os próximos anos e sobre a manutenção.

Essa questão da manutenção é uma indagação que me fiz por muito tempo, por fim cheguei a conclusão que existe 2 serviços distintos nesse processo. Um é você manter o site no sentido de garantir ele online, estar a frente da gerência de pagar o domínio, hospedagem. Outro serviço seria a atualização de conteúdo. São coisas bem diferentes e você deve deixar claro para o cliente.

  • Durante o primeiro ano de contrato eu garanto serviço de “manutenção” de manter ele online, fazer backup, entrar em contato com a hospedagem se necessário, caso o site saia do ar ou algo do tipo. Para esse serviço no próximo ano eu cobro um valor de R$50 mensal.

Mas a pessoa pode optar por não contratar também, mas você tem de ser transparente e falar o que vai fazer e qual seria a sua atuação, deixe isso bem descrito. Pois a pessoa pode achar que você estará ali para fazer melhorias, implementações ou mesmo atualizações. Nesse caso a única atualização que você fará é do wordpress, plugins e temas que seja preciso.

  • Já a atualização do site em si é preferível deixar com o cliente, crie uma conta sem direitos de administrador apenas para ele publicar posts ou alterar a página, faça um vídeo tutorial padrão para os seus clientes ou faça uma demonstração ao vivo. (mas antes faça o backup do que você fez originalmente, e limite ao máximo a atuação do cliente para que ele altere apenas o que for importante)
  • Se o cliente disser que quer você atualize aí você tem de ver o grau de complexidade a demanda que será tida e definir o valor do seu tempo gasto.

Finalizando

Existem inúmeras variáveis envolvidas no quesito precificação, tentei fazer uma síntese e apresentar algumas que visualizo como importantes. Ao longo do texto acabei falando também um pouco da perspectiva atuante para quem está iniciando e do relacionamento com o cliente. Espero profundamente que tenha ajudado. Se tiverem dúvidas, críticas ou elogios deixa nos comentários abaixo. Os preços aqui passados não são referências concretas, são tidos apenas para servir de uma base mínima para quem está começando e não tem noção alguma.

 

Receba com prioridade Conteúdos sobre Como Criar Sites Profissionais

Fechar Menu